Sebrae Delas

Mulheres e Franquias

Abrir um empreendimento próprio é a alternativa para milhões de mulheres obterem autonomia financeira, se tornarem independentes e serem donas dos próprios negócios. O modelo de negócio baseado em franquias tem apresentado crescimento no Brasil, e suas características de operação podem ser bastante úteis à mulher empreendedora.

Segundo balanço da Associação Brasileira de Franchising, ABF, o setor de franquias nacional teve faturamento de quase R$ 187 milhões em 2019, crescimento de 6,8% em relação ao ano anterior. Além disso, é um setor que emprega mais de 1,3 milhões de pessoas.

Certamente, o ano de 2020 vai achatar parte destes resultados, devido à pandemia do novo Coronavírus. Entretanto, algumas características deste modelo de negócio são justamente o que podem fazer dele uma boa opção para a mulher que quer investir em um empreendimento próprio, até mesmo em um contexto de crise como a que 2020 impôs ao mercado.

Neste e-book falaremos das franquias para a mulher empreendedora: oportunidades e riscos deste modelo de negócio, bem como características próprias, prós e contras, alguns ramos do franchising que são mais promissores de se investir e outros assuntos correlatos.

Se você está pensando em abrir uma franquia ou já é franqueada de alguma das marcas que operam neste modelo, este e-book pode ser muito útil. Por isso, esperamos que você aproveite bem e tenha uma boa leitura.

Vamos começar!

O que é franquia?

Vamos começar pelo começo. Muitas das mulheres já empresárias ou futuras empreendedoras que nos leem podem não saber detalhadamente o que é uma franquia.

O conceito de franquia é baseado em um modelo de negócio no qual uma empresa matriz, a franqueadora, licencia sua marca, seus produtos/serviços e sua fórmula operacional para que um filiado, o franqueado, possa operar como um empreendimento próprio, mediante o pagamento de royalties.

As franquias existem praticamente desde o fim do século XIX, quando marcas de equipamentos domésticos e automotivos dos Estados Unidos vendiam seus direitos de operação para empresários que queriam fabricar um produto de sucesso em suas unidades industriais.

Na década de 1910, ainda nos EUA, o modelo se tornou mais próximo do que conhecemos hoje, sendo aplicado ao ramo de restaurantes, mercearias e outros setores alimentícios. A partir da década de 1950, algumas das maiores franquias do mundo até hoje se consolidaram na América do Norte.

O modelo de negócio de franchising como ele existe hoje chegou ao Brasil por volta da década de 1970. Naquela época, as principais franquias atuavam no ramo dos cosméticos e tinham, inclusive, como público majoritário as mulheres, embora os proprietários dos negócios fossem homens.

De lá para cá, mais setores da economia adotaram o modelo de franquias e, hoje, podemos dizer que há uma franquia para quase tudo que se deseja comprar: desde um hambúrguer a serviços odontológicos.

Por que as franquias existem?

As franquias nasceram com o intuito de compartilhar know-how empresarial entre grandes empresas e pequenos empresários. Até hoje esta finalidade está presente no modelo de franchising.

Para a empresa franqueadora, o franchising é vantajoso, pois permite a expansão da marca, o aumento de compras e a disseminação do produto/serviço que comercializa em um universo maior de clientes, além de receber os tão valiosos royalties pagos pelos franqueados.

Para os filiados, por sua vez, o franchising é vantajoso, pois permite a pequenas empresárias comercializar os produtos e serviços de grandes empresas já consolidadas no mercado e, por isso, com mais chances de vender melhor. Apesar do pagamento de royalties, é possível obter bastante lucro com este modelo de negócio.

Falaremos mais sobre os prós e contras das franquias nos próximos itens.

Como funciona a contratação de uma franquia?

Vamos dar mais detalhes sobre o passo a passo para você, mulher empreendedora, que deseja contratar uma franquia.

1. Planeje-se: antes de qualquer investimento, é fundamental ter um planejamento detalhado das expectativas, riscos, potenciais e características do negócio que você pretende contratar. Franquias costumam ter um custo inicial considerável e isso precisa ser colocado na ponta do lápis.

2. Verifique se você atende aos requisitos da franquia: ainda que você tenha o capital necessário e a intenção de contratar uma franquia, é comum que estas empresas façam algumas exigências. Por exemplo, algumas redes de fast food não aceitam instalar unidades franqueadas em cidades com menos de cem mil habitantes.

3. Faça o primeiro contato e negocie: entre em contato com a franquia que você tem interesse. Estas empresas possuem equipes de representantes especializadas em atender novos franqueados, e há uma boa chance de que eles tenham uma margem de negociação que permita a você baixar custos em todos os momentos do processo.

4. Providencie a papelada: abrir uma empresa no Brasil é complicado, como você mulher empreendedora já sabe. Ao abrir uma franquia, você também pode passar pela burocracia interna da franqueadora. Programe-se para lidar com a papelada. Se necessário, conte com um consultor ou contador para te ajudar no processo.

5. Faça o investimento inicial e prepare sua estrutura: após cobrar uma taxa inicial, a franquia irá permitir a você construir a estrutura onde irá operar o negócio. Muitas franqueadoras ajudam com o fornecimento de material gráfico e de decoração padronizados da rede.

6. Trabalhe: abra as suas portas, dedique-se e lucre. Mantenha sempre olho vivo nos dados do seu negócio e faça uma gestão eficiente e proativa.

7. Conte com a franqueadora: normalmente, empresas franqueadoras oferecem suporte técnico e administrativo às franqueadas. Em caso de dificuldades ou indefinições, conte com o apoio que a sua matriz pode oferecer para tirar o melhor proveito da marca.

Devo abrir uma franquia?

Como você viu no item anterior, abrir uma franquia é relativamente simples. Porém, exige muito planejamento, estratégia e visão empresarial. Antes mesmo que você decida negociar com uma franqueadora, recomendamos uma profunda reflexão.

O roteiro de perguntas abaixo pode esclarecer suas ideias quanto ao assunto. Responda-as para si própria.

1 – O local onde vou atuar têm mercado o suficiente para abrigar a minha franquia?

2 – Tenho capital suficiente para abrir uma franquia e mantê-la funcionando até que ela se pague completamente?

3 – O modelo de negócio que estou escolhendo precisa ser franqueado ou eu poderia ter sucesso abrindo minha própria marca?

4 – Qual é a margem de lucro que posso obter investindo nesta franquia?

5 – Qual é o público-alvo da minha franquia?

6 – Esta franquia é conhecida o suficiente para que meu público se interesse por ela?

7 – Por que alguém compraria de minha franquia, e não de outra marca concorrente?

Estas são apenas algumas das muitas perguntas que a mulher empresária pode fazer enquanto planeja seu investimento. Embora este e-book tenha a função de te contar mais sobre este modelo de negócio, também temos o papel de afirmar que nem sempre o franchising é a melhor opção. É preciso pensar sempre com cuidado.

Para pensar com a cautela necessária, entenda agora os prós e contras do modelo de franchising.

Vantagens de se ter uma franquia

Franquias são negócios já consolidados no mercado. E isso não tem a ver apenas com a marca que você está licenciando: tem a ver com processos operacionais, padrões administrativos, rotinas produtivas e funcionais, métodos de negócio.

Ou seja, além de vender um produto ou serviço se aproveitando do sucesso de uma marca conhecida, a sua empresa também estará empregando um modelo de negócio que já foi testado, aprovado e replicado com sucesso em outros mercados. As pessoas, de maneira geral, conhecem e confiam nas franquias.

Por causa disso, podemos afirmar que, na maioria dos casos, uma franquia é um modelo de negócio com menos riscos do que um empreendimento independente. A fama da marca e a padronização dos modelos de negócio tornam a empresa mais sólida.

Franquias oferecem suporte a seus franqueados. Se você, enquanto filiada, está com dificuldades para vender ou para operar o negócio, a franquia pode prestar o suporte necessário à solução do problema, muitas vezes, enviando um representante pessoalmente para diagnosticar problemas e propor soluções conjuntas.

Franquias também costumam ter planos de crescimento. Para se concretizarem, naturalmente, é preciso o sucesso da franqueada. Mas, via de regra, quase toda franquia oferece a seu filiado um planejamento de crescimento a médio e longo prazo, aconselhando as ações necessárias para que este crescimento seja possível.

Franqueados podem se aproveitar do network para crescer. É comum que franquias promovam encontros de franqueados, nos quais estes empresários podem compartilhar experiências de sucesso ou fracasso, propor parcerias e ampliar possibilidades de negócio.

Desvantagens de se ter uma franquia

Como uma franquia é baseada em uma marca de sucesso e em um modelo padronizado de negócio, a mulher empreendedora não irá gozar de total autonomia para administrar sua empresa. Muitas de suas decisões acabarão sendo afetadas ou influenciadas pelos padrões e exigências da franqueadora, assinadas em contrato.

Além disso, franquias costumam ter cláusulas de exclusividade em muitos contratos, impedindo que a empresária comercializa outros produtos e serviços no período em que for proprietária de uma unidade da marca em questão. Outras cláusulas podem penalizar intensamente a empresária, por exemplo, em caso de quebra de contrato.

Outro ponto que pode ser considerado uma desvantagem é o financeiro. Franquias comprometem a sua margem de lucro com as taxas iniciais e os royalties cobrados do franqueado. À medida que você pode vender mais graças à marca mais conhecida, parte dos lucros acabam ficando com a matriz.

Em alguns casos, as taxas iniciais e os royalties podem ser consideravelmente altos, exigindo que a empresária venda muito ou sacrifique ainda mais sua margem de lucro. É o preço que se paga pelo uso de uma marca já consolidada.

Diferentemente de um acionista, que tem voz no empreendimento no qual investe, um franqueado normalmente não participa das decisões estratégicas da matriz. Contudo, é comum que as franquias promovam pesquisas para entender melhor as necessidades, vontades e dificuldades de seus filiados.

Quero eu mesma criar a minha franquia

Neste e-book não falamos apenas sobre empresárias que queiram contratar uma franquia. Mas também de mulheres que querem criar um franchise e vendê-lo a outros empreendedores.

Para fazer isso, é recomendável que a sua empresa já possua alguma boa fama, seja consolidada no mercado em que atua, tenha um modelo de negócio fácil de replicar e possa ser instalado sem muita dificuldade na maioria dos mercados locais.

Seu negócio atende a estes requisitos? Ótimo! Basta alterar o contrato social de sua empresa para que atenda às burocracias estatais, se associar às entidades do setor, criar uma estrutura de venda, atendimento e suporte ao franqueado e começar a espalhar a sua marca pelo Brasil.

Como dissemos, há franquias para tudo. Enquanto alguns franchisings se destacam por seu alto volume de negócios e sua presença nacional, outras franquias têm um alcance mais regional e atendem com bastante sucesso a um público de determinada região. Basta que os clientes assimilem e se interessem pelo seu modelo de negócio.

Franchising com propósito

Cada vez mais empresas e clientes reconhecem a importância social de apoiar empreendimentos de mulheres. Na área do franchising não é diferente. Na hora de contratar uma marca para ser franqueada, prefira as franquias que apoiam a causa da mulher empreendedora.

Com isso, você se empodera, ajuda a dar mais autonomia a outras mulheres, investe, empreende e lucra.

Conclusão

O franchising é um modelo de negócio que tem passado por um período considerável de crescimento em nosso país, e esta expansão não deve ser cessada tão cedo. Por isso, para a mulher empresária, este tipo de empresa pode ser uma boa forma de ganhar mais dinheiro e conquistar autonomia financeira, além de sucesso profissional.

Incentivamos você a tentar! Mas, primeiro de tudo, prepare-se, planeje, estude e compreenda bem todos os termos deste negócio, das necessidades do público às exigências da franqueadora. O Sebrae pode te ajudar com know how especializado na área.

Este e-book foi produzido pelo Sebrae Delas para ajudar mulheres empreendedoras a fazer bons negócios. Nós esperamos que ele tenha sido útil a você. Compartilhe com outras empresárias de seu círculo de contatos.

Não deixe também de acessar outros de nossos e-books. Até logo!

Referência:

Leia também

17.02.2021

Empreender na maternidade

A maternidade traz muitas mudanças na vida das mulheres. A rotina passa a ser diferente[...]

Continue lendo
30.04.2021

Mulheres e franquias

Abrir um empreendimento próprio é a alternativa para milhões de mulheres obterem autonomia financeira, se[...]

Continue lendo